sexta-feira, 20 de maio de 2011

Padre Paulo Ricardo fala sobre a Ira boa.

Por. Eduardo Moreira.

A Igreja Católica defendeu ao longo dos anos que há a Ira como pecado e a Ira como dom de Deus. Sim, a Ira é um dom de Deus e o pecado está em usá-la para coisas ruins. Assim, o Pe. Paulo Ricardo explica o que é a Ira boa e o que é a Ira enquanto pecado capital. Essa palestra é uma resposta postada pelo Apostolado SCR em resposta às hostilidades que alguns pseudo-cristãos relativistas têm nos enviado em uma tentativa de falar que não podemos ficar irados contra os hereges que atacam a verdadeira e única fé. Para esses, que pensam estar apoiados na doutrina da Igreja, deixo algumas frases dos santos padres (padres primitivos) que provam de forma cabal que não devemos ter tolerância e nem devemos ser coniventes com as heresias, o que é bem diferente de odiar o pecador. Devemos odiar as heresias, mas não os hereges. Devemos sim orar por eles e admoestar para que vivam plenamente em Cristo e vida plena em Cristo só existe na Igreja Católica.

"Não combater o erro é corroborar com ele. Não defender a verdade é suprimí-la" - Papa São Félix.

"Eis por que se devem escutar os presbíteros que estão na igreja, que são os sucessores dos apóstolos, como o demonstramos, e que com a sucessão no episcopado receberam o carisma seguro da verdade segundo o beneplácito do Pai. Quanto a todos os que se separam da sucessão principal e em qualquer lugar que se reúnam devem ser vistos com desconfiança, como hereges e de má fé, como cismáticos cheios de orgulho e de suficiência, ou ainda, como hipócritas que fazem isso à procura de lucro ou vanglória. Todos eles se afastaram da verdade e os hereges que oferecem sobre o altar de Deus um fogo estranho, isto é, doutrinas estranhas, serão queimados pelo fogo celeste como Nadab e Abiú. Os que se insurgem contra a verdade e excitam os outros contra a Igreja de Deus, tragados pelos abismos da terra, terão sua morada nos infernos de Coré, Datã, Abiram e todos os que estavam com eles. Os que rompem e dividem a unidade da Igreja receberão de Deus o mesmo castigo de Jeroboão." (S. Ireneu de Lião, Adversus Haereses, IV Livro, 26,2).

"Muitos hereges, que em nome de Cristo seduzem as almas, padecem tais coisas [perseguiçoes], mas são excluídos da recompensa; porque não disse simplesmente: Bem aventurados os que sofrem perseguição,mas se acrescentou: por amor da justiça; e onde não há fé integral não pode haver justiça,porque o justo viverá na sua fé (Habac II,4; Rom., 1,17). Tampouco esperem receber esta recompensa os cismáticos; porque onde não há caridade não pode haver justiça, uma vez que o amor do próximo não faz o mal (Rom., XIII,10), e porque, se tivessem eles este amor, não lacerariam o Corpo de Cristo, que é a Igreja(Col. I, 24). (S. Agostinho, Sobre o Sermão do Senhor na montanha, I,V, 13).

"Não é seguidor de Cristo aquele que não é chamado cristão segundo a fé verdadeira e o ensinamento católico" (S. Agostinho, Sobre o Sermão do Senhor na montanha, I,V, 13)

“Basta responder que nunca poupei os heréticos e que empreguei todo meu zelo para fazer dos inimigos da Igreja meus inimigos pessoais.” (S. Jerônimo, Dial. c. Pelag., Prolg., 2; PG 23, 519B).

 
video